Da Série: “Cartas Que Nunca Foram Enviadas”

Olá S,

Faz tempo que você me escreveu e eu não respondi antes porque… Bem, porque só agora as palavras certas chegaram nessa minha mente conturbada. O negócio é o seguinte: poucas pessoas me atraem tanto quanto você. Falando, agora, não de uma atração física, mais de uma atração, sei lá, cósmica. Uma vontade louca de estar perto da pessoa, simplesmente porque estar perto dela é fantástico! É animador, é instigante, é contagiante! Você me atraia pela SUA loucura. Pela sua insanidade em me acompanhar nos meus delírios, nas minhas viagens… E você me atrai porque você é linda. Sabe aquele tesão doido de ter alguém por perto? Então. E é por isso que eu te amo, tá vendo? Porque você veio aqui, me disse meia dúzia de palavras e ganhou meu coração. Incendiou minha imaginação e me fez rir com idéias doidas. A gente funcionaria muito bem como irmãos, a gente seria ótimos amigos – inseparáveis e tudo mais -, cunhados e vizinhos que adorariam passar os feriados juntos. Mas eu prefiro a gente como um casal. Porque não somos bons assim, somos ótimos. Somos dois cometas estranhos que se encontraram  e, de repente, decidiram que seria muito mais divertido continuar o caminho juntos. Tipo: “olá, gostei de você.” “pois é!” “que ir atrás de um pouco de diversão comigo?” “por onde?” “pelo mundo.” “por quanto tempo?” “pela noite. pela vida.” “eu não pediria menos…” Nem eu. Pela noite, pela vida.

Sinto falta de você, da sua risada engraçada e do seu perfume enjoativo. Estou voltando, me espere.

O mesmo de sempre, Tom.

Anúncios